web diferentes iguais"Todos diferentes, todos iguais." À primeira vista esta afirmação pode parecer confusa, até contraditória, mas, por mais incrível que pareça, não o é, pois a coexistência destas características é possível.

Somos "todos diferentes", pelo menos à vista desarmada. O mundo tem uma enormís-sima diversidade de pessoas, costumes, línguas, crenças e culturas diferentes. Por isso é que podemos dizer que somos todos diferentes, pois convivemos com as diferenças diariamente e é muito fácil encontrar pessoas com tradições diferentes.

Somos diferentes do nosso colega, do professor, do diretor, do funcionário... São tantas as diferenças ou pessoas diferentes que nunca conseguiríamos enumerá-las todas. No dia-a-dia estamos em contacto com diferentes culturas, só precisamos de atravessar a fronteira, andar uns quilómetros ou mesmo caminhar dentro da nossa cidade.

As diferenças, por vezes, levam a desacordos, que por sua vez podem conduzir os ho-mens a guerras, genocídios e outras atrocidades, mas deve isto ser desculpa? Certamente não.

Somos "todos iguais", certo, mas como? Lá no fundo, por debaixo do que os homens, na sua ignorância, chamam de "diferenças", estão as semelhanças que nos tornam iguais.

Somos todos homens, facto inegável, seres racionais, bípedes, criativos, pensadores e reflexivos e é isso que nos torna iguais. O que é que nos torna homens? O que é que nos torna legítimos seres humanos? É a capacidade de pensar e refletir e é aí que está a nossa chave. Ninguém tem o poder de atribuir ou retirar esta capacidade, nasce connosco, como um direito de nascença, embrenhado no nosso ser como uma pedra à espera de ser lapidada e transformada em diamante.

Por isso não vale a pena usar as diferenças como desculpa para as atrocidades por nós cometidas, porque não é a cultura, credo ou língua que nos torna mais ou menos humanos, é a capacidade de pensar, pois os pensamentos e ideias de um europeu também estão ao alcance de um árabe, de um indiano, de um chinês, de uma americano ou de um africano.

Daí nenhuma cultura (desde que respeite os direitos do homem) estar errada, porque dizer que uma cultura é errada é o mesmo que dizer que os homens que a criaram estão errados, mas eles são tão humanos quanto os que criaram as outras culturas. Porque os ou-tros não estão errados também?

Concluindo, somos diferentes por fora, mas, naquilo que nos torna semelhantes, somos iguais. Devemos respeitar os outros por mais que eles sejam diferentes, não porque está escrito na constituição e em tantos outros documentos, mas porque é um dever humano respeitar os outros porque são tão homens quanto nós.

Hugo Santos (11.º A2)hugo santos


Comentários   

+6 #5 GUSTAVO 14-05-2020 19:24
PARA BENS
Citar
+3 #4 Marcos Henrique dos 12-12-2019 03:29
Diferente de tudo são todos, diferente de tudo, samos todos iguais.
Citar
+3 #3 luciana alves de sou 21-10-2019 22:45
É de suma importância o pensar sobre a diversidade nas escolas
Citar
-5 #2 Cecilia de Paula 19-07-2014 16:37
Prezado Hugo, bom dia. Sou Maria Cecilia, professora da faculdade de Educacao da Universidade Federal da Bahia, em Salvador, Brasil. Temos um projeto de pesquisa e extensão universitária sobre as possibilidades de conexão África e Brasil, que abrange esta dimensao de sermos todos semelhantes por sermos todos diferentes, tomando como referencia o corpo e a cultura, em uma perspectiva histórica. Gostaríamos de saber um pouco mais sobre sua culturais história e elegemos os jogos para iniciar este debate. Você pode nos ajudar? Agrado retorno, agradecendo antecipadamente .
Citar
-2 #1 Graça Pinto 02-12-2013 10:58
A arte de pensar nas aulas de Filosofia. Muito bem Hugo!!!
Citar

Comentar


Código de segurança
Atualizar

jornalarte quad

pontalingua quad

Logo UPA

despesc

Topo