web educacao.inclusiva nov18
O Departamento de Educação Especial da EPM-CELP apresentou, no Auditório Carlos Paredes, na passada terça-feira, aos dirigentes, professores, Serviço de Psicologia e Orientação, Serviço Social, técnicos da Terapia da Fala e Associação de Pais e Encarregados de Educação (APEE) o diploma legal que estabelece como prioridade uma escola inclusiva onde os alunos, individual e coletivamente considerados e independentemente da sua situação pessoal e social, encontrem respostas educativas possibilitadoras da aquisição de um nível de educação e formação facilitador da sua plena inclusão social.

Os professores de Educação Especial, Ana Paula Gomes, Carlos Fernandes e Margarida Fortuna, apresentaram os princípios orientadores do Decreto-Lei n.º 54/2018, de 6 de julho, que abrange todos os alunos a estudar no sistema educativo português, destacando os principais procedimentos bem como os documentos inerentes à sua implementação. Salientaram, ainda, que para a implementação daquele diploma é fundamental o trabalho colaborativo e crucial a necessidade de as escolas garantirem os apoios necessários a cada aluno, de modo a concretizar o seu potencial de aprendizagem e desenvolvimento.

A APEE considerou a iniciativa muito pertinente e solicitou ao Departamento de Educação Especial que dinamizasse, em data a definir, uma sessão informativa sobre o referido diploma legal dirigida aos pais e encarregados de educação da EPM-CELP.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

jornalarte quad

pontalingua quad

letraletra quad

despesc

Topo