lamuraFoi lançada, ontem, no espaço da Livraria Snob, em Lisboa, e transmitido a partir do Zoom, a obra infantojuvenil “Lamura”. Com texto e ilustrações de Suzy Bila, escritora e pintora moçambicana a viver em Portugal, e editado pela EPM-CELP, o livro conta a história de uma criança que é levada da sua aldeia para trabalhar numa mina de cobalto. As apresentações estiveram a cargo de Cátia Miriam Costa, investigadora e professora, Matteo Angius, do Camões – Centro Cultural Português em Maputo, Luísa Antunes, Presidente da CAP da EPM-CELP e, online, de Teresa Noronha, como editora do livro, e José dos Remédios, jornalista e escritor moçambicano.

No livro, a narrativa, inspirada em acontecimentos verdadeiros, mostra como o poder da palavra no imaginário fértil de uma criança desvaloriza o tamanho dos obstáculos e faz surgir do nada o significado da liberdade. Mostra, ainda, alguns dos problemas políticos e sociais contemporâneos que merecem um olhar amplo e uma resposta urgente para a construção de uma sociedade mais humana onde todas as crianças possam usufruir plenamente dos seus direitos.

218679281 582183532765315 1177216236260593980 nDe acordo com José dos Remédios, “`Lamura´ é uma história escrita com muita autenticidade. É um lugar de confluência no qual os conceitos de coexistência, liberdade, esperança e metamorfose são invocados através de uma personagem imberbe. Esta história de Suzy Bila é um confronto entre a ordem e o caos, a força e a subtileza, a morte e a superação. `Lamura´ também é um pretexto para repensar um país, um continente ou um mundo atravessado por tantas adversidades”.

Para Luísa Antunes, presidente da Comissão Administrativa Provisória da EPM-CELP, “Suzy Bila traz-nos, neste livro, uma história tragicamente bela de uma criança que é arrancada do seu universo familiar e da sua aldeia para trabalhar numa mina. Esta é infelizmente a história real de muitas crianças em África que vivem em condições sub-humanas e que são vítimas de guerras, de exploração e da anulação dos seus direitos enquanto crianças e enquanto seres humanos”, explicou a dirigente para quem a autora “retrata-nos esta vivência tanto sob a forma de história como sob a forma de imagens. Ambas se complementam e ambas são também independentes uma da outra”.

Lamura é um menino que cresce à volta da fogueira ouvindo estórias contadas pelo pai, através das quais molda o seu mundo, buscando novos horizontes. Metamorfose é uma palavra mágica, que abre no seu imaginário gavetas, onde as respostas para as suas inquietações estão ainda escondidas.

Refira-se que as ilustrações de Suzy Bila estiveram também expostas no espaço Livraria Snob, em Lisboa, onde, para além do livro, o público contemplou as cores e os significados traduzidos a partir do pincel.

Estreitar pontes entre Moçambique e Portugal

Na cerimónia do lançamento da obra “Lamura”, Luísa Antunes realçou que, para além da difusão da Língua Portuguesa, faz parte da missão da instituição que dirige a criação de pontes entre Moçambique e Portugal “através das expressões artísticas que compõem os livros e que, neste caso concreto, são a literatura e as artes plásticas. As artes, expressas por linguagens universais carregam, no entanto, as especificidades dos lugares de onde emanam”.

E justifica: “Aqui, neste espaço temos a sua obra, grandes telas que estiveram na base das ilustrações do livro. Aqui, podemos ver a verdadeira dimensão da sua pintura que, evidentemente, o livro não nos consegue transmitir integralmente”.

Em jeito de agradecimento, Luísa Antunes reconheceu o trabalho da Livraria Snob na parceria de distribuição dos livros editados pela EPM-CELP desde 2017. “No mês de maio tivemos aqui a exposição das ilustrações do livro “Contar Histórias com a avó ao colo”. Tanto aqui na livraria como nas feiras que fazem por Portugal inteiro, levam Moçambique nos sacos. O nosso obrigada por isso”, terminou.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

pontalingua quad

biblioteca

Logo UPA

Logo UPA

despesc

Topo