dia dos mortosO Dia do Mortos é uma celebração tradicional mexicana que honra os falecidos. Começa no dia 31 de outubro e vai até dia 2 de novembro, coincidindo com tradições católicas na América Latina. A UNESCO declarou a celebração mexicana como Património Imaterial da Humanidade.

A exposição “Dia dos Mortos”, dos alunos dos sétimo e oitavo anos do ensino básico, patente no Pátio das Laranjeiras da Escola Portuguesa de Moçambique – Centro de Ensino e Língua Portuguesa (EPM-CELP), nos dias 1, 2 e 3 de novembro de 2021, para além de celebrar a efeméride, percorreu a história e evocou a memória do poeta moçambicano José Craveirinha.

De acordo com a tradição, foi montado um altar com uma fotografia-homenagem do poeta moçambicano, José Craveirinha, rodeada por flores, velas, crânios, símbolos religiosos e outros objetos que, no conjunto, constituíram prendas ao primeiro autor africano galardoado com o Prémio Camões. A escolha, revelou Uriel Guerra, professor de Espanhol na EPM-CELP, “É realçar e divulgar a história deste escritor”, disse, para quem “a iniciativa coincide com o Plano Cultural da Escola que incide, também, nas celebrações do centenário de José Craveirinha”.

A fotografia do poeta sobre o altar, explicou Uriel Guerra, simboliza a intenção da família (ou conhecidos) de chamar o morto para juntos celebrarem. Dentre vários objetos, a mesa tinha, igualmente, flores, velas, frutas, incenso, sal, água e caveiras. O trabalho foi feito em colaboração com alunos de Artes do 10.º ano, coordenados por Inês George, professora de Artes Visuais.

As atividades foram iniciadas há uma semana em contexto de sala de aula, onde os alunos do sétimo ano, por exemplo, pintaram as máscaras típicas, em forma de caveiras, e as duas turmas do oitavo ano participaram na preparação de cartazes, do altar e sua decoração.

Comentar


Código de segurança
Atualizar

pontalingua quad

biblioteca

Logo UPA

Logo UPA

despesc

Topo